perfil do chef

シェフプロフィール写真1

JOSÉ SOUSA BOTELHO

Nascido em 1985 em Lisboa, Portugal

2005 Entrou no Departamento de Arquitetura da Universidade de Lugiada

2007 Primeira visita ao Japão como voluntário

Conheça um parceiro que mais tarde se torna esposa e parceiro

2008 Abandonou a universidade e mudou-se para o Japão

Treinado no American Tribecchiya em Kitashinchi

2010 “Lisboa” inaugurado

シェフプロフィール写真2
= seguindo =
Gonçalo Dias, escritor Português, fez uma entrevista

A Mente Criativa


José Sousa Botelho é a mente criativa que desenvolveu o ambicioso projeto de trazer Portugal ao Japão com todo o seu esplendor gastronómico, inspirado pelo empreendedorismo passado que tão bem marcou os portugueses no século XVI, este jovem Chef viu na cidade de Osaka uma oportunidade engrandecedora de abrir um restaurante dedicado à harmonia e equilíbrio entre as duas culturas. Um espaço revelador da paixão do Chef pelo seu país, que serve de palco para inúmeras experiências inovadoras e altamente exigentes na respetiva execução gastronómica.
Nascido no dia 22 de março de 1985 rapidamente se manifestou neste Chef uma vontade indomável de conhecer novos horizontes, diagnosticando assim novas realidades e foi com bastante inevitabilidade que o José Sousa Botelho em 2008, na altura estudante de arquitetura na Lusíada de Lisboa, viajou para o Japão em voluntariado como líder de uma delegação de crianças portuguesas, iniciativa relacionada com CISV (Children International Summer Village).
A cumplicidade entre o imaginário japonês e o carácter autêntico do José Sousa Botelho foi imediata e tremendamente natural. Hoje o Chef já conta com 11 anos de vivência no Japão, mais precisamente em Osaka. Fala fluentemente japonês e tem uma família que não só o incentiva como inspira na sua ousadia criativa de desenvolver pratos, que mais que refeições, se revelam histórias pioneiras capazes de comunicar as essências de duas nações unidas por uma amizade histórica.

Filosofia pessoal


José Sousa Botelho caracteriza-se por uma enorme exigência em todos os seus procedimentos, além de esforços criativos únicos na respetiva conceptualização das suas ementas, destacam-se também outros aspetos desde a sua dedicação minuciosa na seleção do produto à explicação sucinta das particularidades enogastronómicas da refeição providenciada a cada um dos seus clientes.
A visão do Chef passa por claramente mostrar ao público japonês a profundidade oceânica do universo de sabores portugueses, desconstruindo os mitos que limitam a inventividade gastronómica portuguesa no estrangeiro, onde se exagera na tipicidade tradicional. Da mesma forma, por exemplo, com que se caricatura a gastronomia nipónica no ocidente, percecionando-se como um país exclusivamente devoto ao sushi, sashimi e tempura.
A filosofia pessoal do chefe assenta em valores sólidos que servem de alicerces à sua missão de selecionar produtos de qualidade ímpar e de proporcionar experiências memoráveis através da forma cuidada com que relaciona os pratos confecionados com os vinhos portugueses presentes na adega do restaurante.
Esta resiliência de dar a conhecer um universo gastronómico infindável teve como consequência a crescente notoriedade em Osaka, sendo por isso um nome bastante familiar para os residentes que diariamente experimentam ou incentivam a experimentar.

Criatividade e Inovação


O segredo por trás da ascensão técnica do chef, que facilmente se consegue publicitar, é a vontade incessante de aprender e de continuamente se superar, desafiando-se diariamente no desenvolvimento de pratos inovadores e entusiasmantes. Além da contínua presença do esforço autodidata que o leva a reinventar-se constantemente.
José Sousa Botelho também faz questão de aprender com os melhores chefs nas diversas especificidades. Inicialmente começou como comis no restaurante Tribekiya, mas rapidamente demonstrou o seu valor terminando como sous chef do Masami Kawata chef e proprietário do restaurante. Em 2013 esteve presente no “international gourmet festival vila joya 2013” um dos Festivais Gourmet mais prestigiados, importantes e internacionalmente reconhecidos, adquirindo mais conhecimento e partilhando o já angariado juntamente com os melhores chefs do mundo, revelando-se pertinente acrescentar que nesse evento estavam reunidas mais de 60 estrelas Michellin atuais.
Se o conhecimento do exterior resulta de uma atenção detalhista e de um interesse insaciável por tudo o que o rodeia, o conhecimento interior do Chef é outro aspeto fundamental da sua essência gastronómica baseiando o seu comportamento num processo contínuo de introspeção e questionamento, de meditação e reflexão na compreensão e interpretação dos fenómenos observáveis.
Algo que facilmente se promete sobre a metodologia do Chef é que ele não se irá cansar de surpreender o seu paladar.

continua….